10 pila para ouvir o rather ripped*

Botei minha melhor camiseta da Sensifer (por baixo do blusao) e fui acreditando. Propositalmente, perdi as duas primeiras bandas (uh, perdi). 7pm eh muito cedo para um show. A terceira banda – um bando de francesinhos, duas japonesas cantando, belo synth – me recebeu com um cover de Unicorns – A mesma musica que eu usei como despertador por um ano e meio – seguido por musicas alegrinhas e cornetas, acabando a apresentacao com covers de eurotrash.

O nome da segunda banda era M-Lab, o que ja era mau sinal. Mesmo assim, peguei uma cerveja e fui para a frente do palco (assisti os francesinhos – Mois Non Plus – la de tras, so via no palco troncos pela metade, nao consegui ver qual era o sintetizador que usavam. chuto microkorg. chuto errado, certamente.) junto com dois fotografos profissionais, um cinegrafista e groupies (nenhum sentido).

Posers, o que se traduzia na maneira como pediam vorazmente bebidas ao microfone, no intervalo das musicas. Todos de preto, um power trio + cantora esganicada (visualmente, uma space rave) e 2 backing vocals completamente deslocadas.

Harley-Davidson Rock. Nenhuma graca. Mas, UH, pediam shots de tequila a toda hora. E eram atendidos.

Aguentei ate a sexta musica (a quinta teve um solo de bateria**) me divertindo com o modo como os bobalhoes da guitarra e do baixo buscavam aparecer para o improvavel cameraman, quando focados, e buscavam a camera, com os olhos, a toda hora.

* – a loira gorda gritona e Uh, Rock And Roll da ultima banda chegou no palco berrando WHO PUT THAT FUCKING INDIE ROCK?. Sim, legal sao eles.

** – “I know how drum solos can be boring, but this one is so awesome, you will just want to go have sex in the bathroom” – Fingi que ia transar no banheiro e cai fora. Escolhi duas entre oitenta e nove tipos de cerveja no coreano da esquina e vim, BRABO, escrever esse texto amargo. merda de banda. 

p.s. – nao levei a camera, gracas a deus.

p.s. II – melhor parte foi entre os shows, quando tocou TODO o Rather Ripped. Quase valeu o ingresso.

p.s. III – fiquei chateado de perder a segunda banda, Rails to Russia. Principalmente pelo nome, obviamente.

p.s. IV – Tava bem cheio o Mercury Lounge, hoje.

p.s. V – Ah, quase esquecia disso: o que me fez cair fora chorando, alem do solo de bateria e da balada subsequente, foi ver que os caras duroes, que pediam tequila no intervalo de cada musica (nao bebiam, pelo que vi), tomavam Amstel LIGHT. Nenhuma credibilidade.

2 Responses to “10 pila para ouvir o rather ripped*”

  1. 10 pila para ouvir o rather ripped* Says:

    […] Original post by Esquilo é o novo Rato. […]

  2. Pill Says:

    Por algum motivo obscuro, americamos só tem tomado cerveja Light agora. Eu estava no Texas (no velho estilo Don’t mess with Texas) e os caras tomavam Bud Light, Muller Light, Corona Light. Acho que é uma moda tal como Leite de Soja. Triste…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: