Archive for September, 2008

eu nao tenho um flickr

September 26, 2008

  

                       

  

Gratitude

September 26, 2008

sempre lembrando que esses posts todos tem sido trazidos a voces pelo pessoal bacana do wordpress, que me da 3 giga de espaco (eu nao tenho o que fazer com 3 giga de espaco) e, principalmente, pela ST PETERS ENGLISH ALE, a cerveja de jesus (slogan nao-oficial)

obrigado, melhor cerveja do mundo.

Mogwai e outras cousas

September 26, 2008

eu nao tenho o que escrever. pensei em derramar minhas lagrimas no teclado, mas isso seria muito ruim para o notebook, entao nao.

nao sabia se filmava ou se so assistia ao show, ate que um seguranca decidiu por mim (nao fiquei magoado, thou, eu ja tinha gravado 3 musicas. me contentaria com fotos, dali em diante).

essa eh a vantagem de ter se criado assistindo a shows no brasil (aperto filhadaputa nos shows, tipo los hermanos no opiniao, ecoisaetal). quando tu vai pra civilizacao, eh tao, mas TAO mais facil conseguir um lugar bom na frente do palco, que no show do sonic youth fiquei ate com preguica de faze-lo. mas no caso dos escoceses, a diretriz era estar o mais perto possivel, entao simplesmente fui me aprochegando pela extrema-direita e, 10 minutos passados, faltando uns 5 pra comecar o show, KABLAN!, la tava eu, na frente do palco. e com um restinho de stella artois no copo, ainda. (sim, as pessoas mantem distancia uma das outras, mesmo no BURBURINHO – dai vem os filhadasputa que nem eu e se enfiam na frente. perdeu, gringo.)

epah.

Stu toca 2rightsmake1wrong com os dedos nus. fodam-se as palhetas. o baterista eh realmente bom e calmo (sim, usa um marcapasso, por isso nao pode se agitar tanto, ja diseram eles numa entrevista gigante que eu imprimi em 2003 e carregava pra la e pra ca pela unisinos, pra ler uns pedacos durante as aulas). o show durou quase duas horas. melhores quase-duas-horas da vida.

ah, fato bizarro: o baterista quase morreu, 2 shows depois, e a turne foi cancelada. quase perdi. bulloch, o homem-relogio, eh a calma em pessoa, tocando.

………………………

No meu trabalho tem um equatoriano, o manuel, que eh muito fanatico por futebol, entao ficamos falando da LDU, dos confrontos brasil vs. ecuador, do aguinaga (claro) e do dunga. so nao falamos do robinho – ainda bem, porque nao quero me decepcionar com ele. nem tocarei no assunto. ele que me da todos os updates da sudamericana. cara util, esse manuel.

…………………………

Ah, e fui numa churrascaria chamada COPACABANA, esses dias, com minha-amiga-de-colegio-que-mora-aqui-a-decadas, a Yara, e seu namorado marroquino, o Moustapha, que esta jejuando por causa do ramadan, entao passou o domingo inteiro, durante o dia, sem comer nada, fumando um marlboro atras do outro, coisa que tecnicamente ele nao poderia fazer. o melhor momento do dia eh, obviamente, quando o sol se poe. logo, foi o momento mais esperado do dia por mim, que to com saudades de carne, e por ele, que nao via alimento a, sei la, 13hs. e se normalmente eu, quando entro numa churrascaria, me transtorno (pelo obvio fato de ter toda a carne a minha disposicao por um preco fixo, o que aguca meus instintos muquiranas e de sobrevivencia mais basicos, me fazendo passar mal TODA VEZ em que estou num desses templos da carne), dessa vez eramos dois. eu, pensando em que cortes de carne pedir com mais frequencia de modo a maximizar os prejuizos da churrascaria, e o marroquino faminto, pensando somente em comer o maximo possivel e depois chegar em casa e comer mais (e comemos, vendo um filme sensacional, IN BRUGES, recomendo fortemente) e depois dormir, e acordar antes do sol nascer e comer mais, e depois dormir mais uma hora e levantar, para encarar mais um dia de fome e cigarros.

sei la, acho que ele escolheu mal sua religiao – mas respeito isso, talvez ele tenha mais fibra moral que eu, pois ao menos ele acredita em algo, e aquilo aparentemente faz bem a ele, e nenhum mal a quem esta por perto. eu, apesar de nao passar fome, tenho que me confortar com a incerteza da sobrevivencia da alma. mas, por outro lado, eu faco bem para mim mesmo e nenhum mal para os que estao por perto, tambem – exceto para a baby cockroach que cruzou meu caminho esses dias, entao:

mateus 1 X 1 muculmano.

mas, enfim, o que eu ia dizer eh que na verdade nenhum de nos esta certo, a religiao que tera livre acesso ao reino dos ceus sao os mormons. mormons. eh, mormons is the correct answer.

momento traficante-de-orgaos da noite: o garcom que chegou pra mim como quem oferece um rim contrabandeado para transplante, perguntando se eu era brasileiro, e se eu tava interessado em uns coracoes de galinha (tavam um lixo, puro alho, mas ta valendo. logo depois, pedi mais um naco de costelao12horas, pra finalizar – foi o nono, acho).

parece que os locais acham ESTRANHO o apreço que nos, selvagens, temos por coraçoes de galinha. mas pato morto na vitrine de tudo que eh lugar, no chinatown, pode, decerto.

(nota mental: tirar fotos dos peixes vivos que as peixarias dos chinos vendem, naquele bairro imundo. tem uns muito afude*. muita vontade de comprar um, nunca tinha visto um peixe parecido com aquele. mas eu nao tinha aonde botar, tipo, foda. e nem conseguiria pedir pra embrulhar pra levar (num saco plastico com agua, sei la), porque eles nao falam ingles. como diria triumph, the insult comic dog, you’re in north america, learn the language!!!)

* – for me to poop on.

(implicancia com chineses eh a onda do momento)

Dança Folclorica do Turcomenistao

September 23, 2008

 

 

 

parece divertido.

 

fotos daqui.

estranheza

September 21, 2008

acabei de chegar a conclusao que, provavelmente, meus roommates se refiram a mim, no AMAGO do seu ser, como o cara, aquele, que fala uns trocos(cedilha) estranhos. exemplos de ocorrencias:

 

-sorry for the noise last night mates, it’s just that I found this baby cockroach in my room, and we had a confrontation.

 

-arrr, mateys. today is the talk like a pirate day!

(luis) ahn?

(eu) talk like a pirate day. go to http://www.talklikeapirate.com

(luis digitando) talklikeaparrotday

*pagina nao encontrada*

(eu) no, no, pirate, as in buccaneer.

(luis) ah, (digita corretamente, le o vocabulary section)

(eu) see? say random things like “avast me friends”. its once a year. gotta enjoy it.

(luis) aye aye.

 

– e ficar chamando eles de mates toda hora, que nem um ingles maluco (culpa do fmlive, certo)

 

enfim, tudo bem por aqui, ainda abalado com o show do mogwai, mas pretendendo postar videos uma hora dessas (nota mental: postar videos)

 

 

(em noticias nao-relacionadas, ontem eu vi uma MANADA da ratos, no meio da rua. eram duas da manha e eu era o unico serumano da quadra, subindo a orchard em direcao ao subway-da-salvacao. os oito ou nove ratos comiam lixo, que eh o que ratos fazem, no meio da rua. claro, eu deveria estar acostumado, esses dias o rato mais veloz do mundo – nao me processa, speedy gonzales – passou por mim, e alguem ate comentou que “that was a fast rat”, e ratos nos trilhos do subway sao como vans de cachorro quente em porto alegre, seguido tu ve uma {desculpem, eu precisava de uma analogia, e eh tarde e eu to cansado}, mas mesmo assim, CARALHO, CARA. 9 ratos no meio da rua fazendo um festim. quando me viram sairam em formacao, tal qual patos, fugindo pra debaixo de uma cerca. fiquei meio apavorado. eles claramente poderiam ter se aproveitado do fator surpresa e da superioridade numerica e me consumido ali mesmo, mas preferiram fugir para lutar outro dia. faltam gatos e cachorros nessa cidade. maldita politica-da-carrocinha.

na real, a culpa SO PODE ser do chinatown, sub-bairro mais INCIVILIZADO da historia de qualquer cidade. se a profecia se cumprir e esses malditos chineses dominarem o mundo, com sua falta de boas-maneiras, higiene-basica, qualquer resquicio de civilidade e predilecao por execucoes em praca publica, matem meus descendentes, por favor.

 

sereo. I’m super cereal.
AL GORE)

Avast, ye bilge rats!!!

September 19, 2008

 

arrrrrr, happy talk like a pirate day, mateys.

dei o bolo

September 16, 2008

eu: (hoje fui abordado por um mendigo que alegava ser o melhor tocador de violao do planeta. ele pediu pra esperar enquanto ele subia pra pegar o violao, mas eu nao esperei. mas dei um cigarro samson pra ele, e peguei seu telefone. combinamos de ir na igreja juntos, domingo.

(serio mesmo)

eu tava voltando de um jantar com minha tia. fumava um samson subindo a primeira avenida quando fui abordado por ele.

me pediu um cigarro, eu ofereci um samson, se ele enrolasse.

ele falou que OBVIAMENTE enrolava, e comecou a falar sobre suas habilidades com o violao.

 Enviado às 23:13 de quinta-feira

 eu:  se ofereceu pra pegar o violao na casa dele (era a dois passos dali, aparentemente) e tocar uma cancao pra mim. eu aleguei pressa, O MAL DO SECULO, e ja ia me indo, quando ele comecou a falar dos filhos dele.

um dos filhos eh o melhor trompetista do mundo, e o outro e um gangsta rapper vagabundo que dorme o dia todo.

 Mirella:  oi.

e tu nao ouviu?

lembrei de uma coisa agora..

 eu:  ele correu o vagabundo de casa, hoje. ate brigou fisicamente (digo, foi atacado e chamou no gandhi, nao reagindo. pra relaxar, depois da briga/ataque, pegou o violao e foi pra calcada tocar. so depois de tocar umas 3 cancoes, que ele chamou a policia.

nao ouvi.

enfim, hoje ele correu o filho vagabundo de casa, e eu me senti bem mal com a historia.

disse que tambem tocava violao e peguei o TELEFONE dele, pra combinar de, quando passar por ali de novo, ficar uma meia hora tocando na calcada.

final da historia: combinei de encontra-lo as 10 da manha de domingo, ocasiao na qual verei ele tocar violao. depois, ele disse que me levaria na IGREJA dele, mas acho que vou tentar dar um jeito de escapar dessa.

(do que tu lembrou?)

 Mirella:  nao, vai na igreja com ele

dum texto q li

 eu:  so se ele deixar eu tirar fotos.

A taxidriver named Tahik

September 16, 2008

“…Bayside, in Queens, is very green and has a lot of parks. It reminds me of Kashmir. Naturally speaking, Kashmir is more beautiful than New York, but in a different sense. New York and Kashmir are both bigger than you are. And they say if you have a problem in your soul, then Kashmir will scare you. But if you are ok in your soul, then Kashmir will inspire you. I am sure New York is the same. Anything bigger than you is like that: it will magnify what you have inside of you. Because the buildings in New York are like the mountains of Kashmir. If your soul is ok, New York will make you feel really great. But if you have something wrong in your conscience, it will scare you. Just like Kashmir.”

“Nuclear weapons and TV have simply intensified the consequences of our tendencies, upped the stakes.”

September 15, 2008

Merda.

nao posso mais dizer “melhor escritor vivo“.

luto, aqui. hoje, na confeitaria ferrara, do nada, me lembrei que ele nao mais escreveria. vai ser bem triste acabar de ler o infinite jest, agora.

 

 

ah, sim, estou trabalhando. 

e assistirei aos mogwai, em 4 dias.

(contando cada maldito segundo)

happybirthdaymom

September 12, 2008

5 dias atras

September 12, 2008

sabado choveu pracaralho. eh a tempestade tropical hanna, castigando os filisteus. ja eu, que gosto de sorvete e cerveja, peguei um guarda chuva emprestado e me fui pateando ate a loja da esquina.

cabe a digressao: o predio, aqui, eh bem grande. tem so 4 andares, mas como se pode ver nas fotos, alguns posts abaixo, eh um PAVILHAO, com 3 entradas – e minha chave so abre a entrada do meio, o que me forca a passar por um labirinto de corredores e entradas e saidas internas para chegar na porta escrito 1D, meu loft no porao. ainda: o terreo, de face pra rua, ao lado da porta do meio, tem uma especie de cafe, meio que exclusivo do predio, que provavelmente nem tem licenca pra funcionar – e esse cafe tem uma open mic night, o que significa que eu preciso trabalhar nas minhas covers de syd barrett e achar alguem que toque escaleta, pra acompanhar o violao – que violao sozinho eh coisa de hippie)

mas sair pela porta mais perto (a bem da esquerda) eu consigo, so entrar que nao, entao assim o fiz, e ao passar na frente do tal cafe, indo atras da minha guinness vespertina (o que mais fazer num dia de tempestade, trancado num loft com o pe direito incrivelmente alto?) me deparo com 1992 all over again. nao, nao pessoas pulando ao som de nirvana, e sim um casal jogando super mario bros. 3, atirado num dos sofas do cafe.

fiquei alguns segundos parado na chuva, na frente do cafe, protegido apenas pelo fragil guarda-chuva-de-mulherzinha do luis, pensando comigo mesmo que “se o videogame vintage esse realmente pertencer ao cafe, maninho, FUDEU, porque eu nunca mais saio de la.”

(esse local tem um artificio bem simples pra evitar a fiscalizacao/pulissa: os locais do predio ficam rateando la dentro, conversando, jogando videogame e lendo jornais, mas na frente uma placa feita a mao avisa que “this place is not open yet!”. deve funcionar, senao vejamos: o lugar ta aberto, e apesar da placa para iludir a lei, tem outra placa anunciando a “open mic night”. pensando bem, qualquer agente de fiscalizacao mais esperto se da conta do embuste. veremos.)

foto da chuva do outro sabado, ainda no apartamento antigo. nao que tenha alguma relacao com a do sabado passado, fora o fato de ser um evento natural da mesma especie. mas a foto ficou bonita, com as gotas de chuva paralisadas no ar, levando flash na cara.

So long McCarren Pool

September 6, 2008

Cheguei cedo ao parque, temendo que se repetisse o fenomeno Yo La Tengo, com filas dando a volta completa na quadra. Mas nada disso. Talvez por nao ser de graca, dessa vez. E chego cedo MESMO. 2emeia ja to la (gates open at 4pm) e pelo menos sei que vou ficar NA CARA do palco. (faz falta alguem pra dividir umas heinekens).

epah. o juiz hindu expulsou o zagueiro do time de vermelho (jogam contra os laranjas. o time de vermelho
e claramente composto por ianques, o que se percebe pela altura, alvura, bochechas vermelhas e total inabilidade no manejo da bolota. ja os laranjas sao um bando de latinos, os mais altos – 1,70m – atras, e uns baixinhos na frente, fazendo a correria desgranida). grande discussao se segue, com vermelhos brigando entre si. ouco “I like when the game is over, and they can fight. ‘ cause they wait! they wanna keep playing, you know, so they wait”, comentam duas senhouras atras de mim.

Apenas uma duzia de pessoas mata tempo na frente dos portoes fechados, enquanto os tecnicos de som trabalham. O futebol dos latinos (pois eh, a praca tem um baita campao de futebol, com grama impecavel) segue ruim. jogam mal esses filhosdeputa. parece qualquer jogo do campeonato mexicano, aquela naba.

e em dois minutos, dois golassos dos latinos de laranja que devem estar lendo meus pensamentos. O que faz a expulsao de um zagueiro, nao? E enquanto escrevo isso, outro gol para os laranjas. Em ordem: o primeiro, um chute lento e alto, da meia esquerda, depois do dominio de bola mais bisonho que eu ja vi. a bola foi indo, lenta e alta, que nem um cruzamento do tcheco, e entrou mansamente no angulo. o goleiro ficou olhando com cara de parvo. Os outros dois gols, contra-ataques mortiferos que acabaram na cara do goleiro, pobre-diabo. ao meu lado, um time de azul aquece para o proximo jogo.

Jogar futebol com sonic youth tocando a 50 metros deve ser uma esperiencia memoravel.

Busco informacoes. sobre o show e o futebol. gates open at 4pm, show starts at 7pm. ainda bem que eu
trouxe um livro. quanto ao futebol, eh um torneio que acontece todos sabados e domingos, nessa praca. uma
liga de jogadores ruins do brooklyn, one could say.

Como eu tava rateando pela frente do portao, entrei as 4pm, comprei uma brooklyn ale e fui me sentar na frente 
do palco. As mesmas racks com 15 guitarras cada, das quais lembro com muito carinho, do show de SP, ficam adornando o palco. O McCarren Pool eh uma piscina publica desativada, e o palco e montado numa das bordas da piscina. o publico fica dentro. por algum motivo, tem um monte de moedas de um centavo pelo chao.

(cara, reggae eh chato mesmo, heh? parece, sei la, algo feito pra ser trilha sonora de algum desenho que se passa no fundo do mar. tocou um combo enfadonho de 3 reggaes, agora comecou a versao em ingles de baby. que coisa.)

As 5pm comeca a tocar a primeira banda, um trio de gurias desajeitadas (Vivian Girls) que parecia ter ensaiado 3 vezes antes do show. divertido ver a cara de WTFmate? das pessoas, assistindo. vou dar uma volta na piscina, volto para a frente do palco quando essa barbaridade acabar. Caso TU, com toda a persistencia de quem nao sossega enquanto nao ouvir coisas novas, va se aventurar a procurar o myspace delas, ficadica – pode ate estar bem gravado e produzido, mas ao vivo elas sao something awful. 

ok, decido me embebedar (o que sera dificil, posto que a cerveja – brooklyn ale – custa 6 mangos.)

Ah, versoes em vinil dos SYR 6 e 7 sao vendidas por 20 cifroes na banquinha. nao comprarei, thou. estou na cidade deles, outras oportunidades de adquirir os prehistoricos vinis aparecerao.

recostado num canto, algo depois, penso que sera ate melhor nao me meter no meio da piscina de novo, e assistir o show aqui de tras, com meus oculos -0,75 novos, como um imperador romano assistindo leoes devorarem nubios. Ainda falta Times New Viking e Wolf Eyes, sera uma longa espera.

A segunda banda monta seu set, avioes passam no ceu, um cheiro familiar inunda minhas narinas, mas nao me distraio. A times new viking, de ohio, usa um alesis micron, o que eh um ponto positivo para eles, e inunda meu coracao de saudades. mas, sei la, eh meio mangol quando a banda toca com um synth (usado como se fosse um teclado normal, maior desperdicio de alesis micron ja visto), uma guitarra e um baterista que canta todas as musicas – e isso nunca e bom sinal, como todo mundo sabe.

durante o show dos novos vikings, ninguem aplaudia nada, impressionante. nao eram tao ruins assim. na verdade, tinha UM sujeito animado. um cara numa cadeira de rodas, fumando marlboros vermelhos e tomando uma brooklyn ale atras da outra, acompanhado por seus amigos bipedes. parecia estar se divertindo afu. hooray for that.

“we just got together these days – like we didnt do in a long time – and wrote a couple of new songs. they dont have names and barely have lyrics I’ll make up the lyrics as we go” e com isso comecou a catarse coletiva. nem faz sentido falar sobre esse show, tenho medo que a sanha descritiva arruine a lembranca do momento, e alem disso, ele ta disponivel em streaming AQUI (link). Recomendo a todos que oucam. Sai de la queimado pelo inclemente sol do verao novaiorquino, e com o coracao inundado de alegria por ter reencontrado os SY ao vivo.
melhor banda.

(p.s. sacana: folhetos distrbuidos no show alardeavam que uma radio online local – a wliubk.org – disponibilizaria o show em streaming durante todo o mes de setembro, mas ao entrar no site, nada acontece (nem no ar, o site tava, agora) – mas sei la, tentem. vale a pena, belas versoes de lights out e aquelas musicas antigas, da decada de 80, das quais eu nao sei o nome)

Afago no Nego (digo, EGO)

September 4, 2008

bem inesperado esse reconhecimento tardio, mas assaz agradavel, tambem.

sirens sound eh (sim, sem acentos ainda, mas esse eh o primeiro post no macbook novo, sintam-se honrados, ou nao) um site do qual eu ja baixei uma razoavel quantidade de coisas. a maioria eu achei uma bosta, alguns eu achei bacaninhas, uma que outra coisa (my dad vs. yours eh um exemplo, de banda de post rock boa e de MELHOR NOME EVER, que eu acabei descobrindo por la) eu gostei bastante, e agora, maniche, a farveste recebeu a MELHOR COTACAO DE TODAS, nesse belo site-guia. gracas a sinewave – um selo virtual de post rock brasileiro, o que significa que eles garimpam bandas boas (heh) e tacam no seu site, caso elas sejam unsigned, claro – que descobriu a farveste, nao sei como, e, deixa eu mudar de paragrafo.

ENTAO, os caras da sinewave descobriram o COLDRE, primeiro (e por enquanto unico) disco da farveste, dando sopa por ai, nessas INTERNET da vida. gostaram, pelo jeito, e nos contactaram, visando botar o bom e velho EP pra download, no seu site. nosotros, claro, ficamos tremendamente lisonjeados, pois faz DECADAS que o nego fugiu pra australia, eu renan e tulio acabamos nos divertindo bastante com a andina, e a farveste virou uma boa lembranca, apenas, nos ultimos anos.

Ate dez dias atras, quando os bons caras da sinewave nos contactaram pedindo autorizacao para difundir o coldre. mas a alegria suprema foi ontem, quando eu descobri que, gracas a sinewave – que foi por la que o sirens sounds achou a farveste – nossa ex-banda acabou sendo terrivelmente elogiada por um blog importante de post rock.

claro, ninguem se importa, e dizer” um blog importante de post rock” eh meio como dizer “um bom atacante do futebol norte-coreano”, mas, cara,  isso me alaga de boas memorias e orgulho de um dia ter composto umas musicas instrumentais com outros 3 caras bacanas. saudades, caras.

(a seguir, sonic youth e o futebol latino)